Após marcar dois em 10 minutos no Desafio das Américas, em Manaus, craque teve meia hora para atingir a marca no Brasil, mas passou em branco. Ele aposta que feito sairá na Argentina.

 


Foto: Marcos Dantas.

 

Após marcar duas vezes em 10 minutos no clássico contra a Argentina, pelo Desafio das Américas, em Manaus, o craque Falcão teve meia hora para atingir a marca de 400 gols pela seleção brasileira de futsal ainda em solo tupiniquim, mas passou em branco no tempo restante e ficou a um tento do feito histórico.

 

O “quase” não desanimou o camisa 12, que esbanjou marra ao fim do confronto. O Brasil venceu os hermanos por 8 a 2, com direito a duas assistências e atuação de gala do ala esquerdo.

 

 

– Não quero ser egocêntrico, estou falando de realidade e números. Consegui bater todos os recordes do esporte, todos possíveis. De título individual, de artilheiro de Copa do Mundo, de maior artilheiro de qualquer seleção relacionada a futebol, mais de 100 títulos no esporte coletivo é muita coisa. Além da importância que o Falcão tem na mudança do futsal, sei que transformei tudo em números. Quando pega popularidade e mais números, eu acredito que vai ser difícil alguém bater – disse o ídolo.

 

Falcão também deu amostras de sua confiança ao ser questionado sobre o recorde. Ele lamentou a probabilidade do gol sair na Argentina, praticamente garantindo que vai balançar as redes em pelo menos uma oportunidade nas duas partidas que restam.

 

– Eu estava agoniado para que o gol saísse. Ainda mais pela situação do jogo, queria que fosse no Brasil. Claro que não quer dizer que vai sair na Argentina, mas a probabilidade é grande. Sou um atleta que a minha função é fazer gols e, em dois jogos, dificilmente eu passarei batido. Mas, se tiver que ser lá, os argentinos também me respeitam muito. Sou o atleta brasileiro mais respeitado na Argentina. Se eu fizer lá, também será uma sensação diferente – acrescentou.

 

 


Falcão está a um gol do 400º pela seleção brasileira — Foto: Mauro Neto.

 

O atleta, aos 41 anos, não foi utilizado durante todo o jogo, mas, quando esteve em campo, mostrou sua superioridade técnica mesmo diante dos atuais campeões mundiais. Os hermanos, de acordo com o próprio camisa 12, são suas maiores vítimas na carreira.

 

Confira os últimos dois gols do craque:

 

Gol 398

 

 

Gol 399

 

 

 

 

Fonte: Globo.com