Futebol, vôlei ou basquete, a região sempre foi bem representada no cenário esportivo nacional e internacional.

 

O esporte é feito de nomes fortes, personagens que englobam alguns adjetivos como força, carisma, dedicação. E uma região rica como o interior de São Paulo não pode ficar sem grandes destaques no cenário nacional e internacional do esporte, sejam eles de alguma das 318 cidades da TV TEM, ou mesmo que tenha passagem por um clube da região.

 

Gente do futebol, do basquete, do vôlei, do futsal, das pistas de corrida, das corredeiras colocaram as regiões de Bauru, Itapetininga, São José do Rio Preto e Sorocaba cada vez mais no mapa do esporte.

 

No aniversário dos 15 anos da TV TEM, o GloboEsporte.com destaca 15 dos diversos nomes que deram o que falar no esporte da região.

 

 

Adhemar

Adhemar ainda mora na região (Foto: Rodrigo Faber).

 

De Tatuí saiu um dos chutes mais fortes do futebol brasileiro na primeira década do século XXI. Adhemar chegou a jogar na região, no São Bento, e no Estrela, mas ganhou projeção mais para o final de sua carreira, quando defendeu o São Caetano. Depois de pendurar as chuteiras, recebeu convite para ser kicker de futebol americano numa equipe da NFL, mas acabou optando mesmo pela vida tranquila em Porto Feliz.

 

Alex Garcia

Alex Garcia foi MVP do NBB e das finais da temporada passada (Foto: Fotojump / LNB).

 

Natural de Orlândia, na região de Ribeirão Preto, Alex Garcia até passou por duas cidades da região na juventude, Assis e São José do Rio Preto, mas só passou a brilhar na região em 2014. O jogador foi contratado para ser um dos líderes do Bauru Basket, e não decepcionou. Pelo clube da Cidade Sem Limites, o Brabo já foi campeão estadual, do NBB, da Liga Sul-Americana, da Liga das Américas, além de ser vice-campeão intercontinental.

 

Átila Abreu

Átila Abreu tem um vice-campeonato da Stock Car (Foto: José Mário Dias / Divulgação).

 

O sorocabano Átila Abreu foi piloto oficial da Mercedes-Benz, dividindo o posto com Lewis Hamilton, quando atuava nas categorias de acesso na Europa. Mas sua altura o fez trocar os monopostos pelos chamados carros de turismo. Na Stock Car Brasil, já conquistou uma dezena de vitórias, além de ter sido vice-campeão em 2014, perdendo o título para Rubens Barrichello.

 

Fábio Maldonado

Encarada de Fábio Maldonado a Corey Anderson, quando o “Caipira” lutava no UFC (Foto: Marcos Ribolli).

 

Lutador de boxe, Maldonado ganhou o apelido de “Caipira de Aço” e não foi por acaso. Após migrar para o MMA, Maldonado foi contratado pelo UFC e fez algumas lutas memoráveis, principalmente por “aguentar o tranco” dos adversários.

 

Falcão

Falcão não só joga, mas escolheu Sorocaba para viver (Foto: Guilherme Mansueto / Magnus Futsal).

 

Falcão dispensa maiores apresentações. O maior jogador de futsal de todos os tempos escolheu Sorocaba para iniciar um novo projeto, e deu certo. Pela cidade, o astro conquistou a Liga Paulista duas vezes (2014 e 2017), a Liga Nacional (2014), a Libertadores da América (2015), do Mundial em (2016) e da Supercopa (2018).

 

Guerrinha

Guerrinha já não está mais na região, mas sua passagem dupla foi marcante (Foto: Gaspar Nóbrega / FIBA Americas).

 

O francano Jorge Guerra colocou e recolocou Bauru no mapa do basquete nacional. Após uma primeira passagem com título nacional em 2002, o técnico retornou a cidade para reerguer a modalidade na cidade, e conseguiu. Foram dois títulos do Campeonato Paulista, um da Liga Sul-Americana e um da Liga das Américas, crescimento que atraiu patrocinadores para o time da cidade e levou o clube a enfrentar times da NBA nos Estados Unidos.

 

Janeth Arcain

Janeth Arcain teve várias passagens pelo interior paulista (Foto: Michael Steele / Getty Images).

 

Já na reta final de sua brilhante carreira, a campeã mundial em 1994 Janeth Arcain voltou para a região para defender as cores do Ourinhos – antes, no início da carreira, jogou por Sorocaba e Jundiaí. Pela cidade, a ala foi bicampeã do Campeonato Brasileiro da CBB e foi convocada para a disputa dos Jogos Olímpicos Atenas-2004.

 

Juninho Paulista
Juninho Paulista é gestor do Ituano (Foto: Emilio Botta).

 

Pentacampeão com a Seleção Brasileira em 2002, Juninho Paulista começou sua carreira no Ituano, passou pela Inglaterra onde é ídolo no Middlesbrough, pelo Atlético de Madrid e atuou por clubes grandes no Brasil, como São Paulo, Flamengo, Vasco e Palmeiras. Voltou ao Ituano em 2009, e desde 2010 é gestor do Galo, levando o clube ao título do Paulistão 2014 e ajudando na revelação de vários jogadores para o cenário nacional.

 

Luan
Luan virou ídolo de dois Galos (Foto: Bruno Cantini).

 

Revelado na base do licenciado Atlético Sorocaba, Luan Madson jamais se esqueceu de suas origens. Pelo time sorocabano, foram 148 jogos que o lançaram nacionalmente. O atacante ganhou projeção ao ser emprestado para a Ponte Preta e já é ídolo no Atlético-MG, clube que defende desde 2013.

 

Paula Pequeno
Paula Pequeno fez sucesso no Bauru e antes passou pelo Futuro (Foto: Neide Carlos / Vôlei Bauru).

 


A ponteira campeã olímpica com a seleção teve duas passagens pela região. A primeira aconteceu pelo extinto Vôlei Futuro, que colocou Araçatuba no mapa do esporte olímpico. Nesta temporada, PP4 defendeu o Bauru, dividindo a responsabilidade de pontuar com a oposta Tifanny.

 

Paulo Roberto Santos

Paulo Roberto Santos é o técnico mais longevo do futebol brasileiro (Foto: Jesus Vicente/ Repórter Autônomo).

 

Técnico mais longevo do futebol brasileiro, Paulo Roberto Santos é um dos grandes responsáveis pela subida meteórica do São Bento. O técnico chegou ao clube em novembro de 2013, mas dirige o Bentão initerruptamente desde o fim de 2015. O técnico acumula três acessos pelo clube: à Série A1 do Paulista em 2014, à Série C em 2016 e à Série B do Brasileirão em 2017.

 

Pepê Gonçalves
Pepê Gonçalves em ação na Rio 2016: 2020 espera o paulista (Foto: Christian Petersen/Getty Images).

 

Uma das principais promessas do esporte olímpio brasileiro e da canoagem é o jovem Pepe Gonçalves, de Pirajú, na região de Itapetininga. Após disputar os Jogos Rio-2016 e passar para a grande final, Pepe é uma das apostas do Brasil para conquistar medalhas em Tóquio-2020.

 

Thiago Braz

Thiago Braz levou Marília ao topo do mundo em 2016 (Foto: Reuters).

 

Mariliense, atleta do salto com vara e campeão olímpico. Thiago Braz superou, literalmente, altos desafios no esporte. Criado pelos avós, o jovem, na época com 23 anos, enfrentou um estádio Olímpico lotado, os olhares de bilhões de pessoas ao reor do mundo e o francês Renaud Lavillenie para se tornar medalha de ouro.

 

Tifanny

Tifanny Abreu segue quebrando barreiras no esporte (Foto: Marcelo Ferrazoli/ Vôlei Bauru).

 

Tifanny está na lista quebrando paradigmas. Além de ser a primeira trans a disputar a Superliga feminina, a oposta atraiu olhares do mundo inteiro para o vôlei de Bauru. Atuando a partir do segundo turno, Tifanny ajudou o time a avançar às quartas de final da competição e rivalizou com Tandara, do Osasco, pelo recorde de pontos em uma só partida da competição.

 

Vagner Mancini

Vagner Mancini é ídolo em Jundiaí (Foto: Tiago Caldas / E.C Vitória / Divulgação).

 

Principal técnico da história do Paulista, Vagner Mancini começou a sua caminhada no clube ainda como jogador. Foi vice-campeão do Paulistão 2004 como auxiliar-técnico de Giba, e teve sua oportunidade de ouro aoconquistar a Copa do Brasil de 2005 com o Galo de Jundiaí. No primeiro jogo, 2 a 0 para o Paulista, no Jayme Cintra. Na partida da volta, disputada em São Januário, 0 a 0 e Galo campeão.

 

 

Fonte: Globo.com