Vencedor do prêmio Agla Futsal Awards por cinco vezes (2010, 2014, 2015, 2016 e 2017), português elogia camisa 12, mas prefere não se comparar ao brasileiro: “Somos amigos”.

 

Foto: Divulgação/UEFA.

 

Eleito o melhor jogador do mundo nos anos de 2010, 2014, 2015, 2016 e 2017 (Prêmio Agla Futsal Awards), o português Ricardinho prefere não se comparar a Falcão, cuja carreira está chegando ao fim. Amigo do camisa 12, a quem ele tem como ídolo, o ala de 33 anos viveu o ápice da carreira no início deste ano ao levar Portugal ao inédito título da Eurocopa. Mantendo os pés no chão, Ricardinho evita fazer promessas para o Mundial 2020.

Em conversa por e-mail ao GloboEsporte.com, o craque falou ainda sobre carreira, visibilidade do futsal em relação a outros esportes e suas impressões sobre o futsal brasileiro. Confira a entrevista:

GloboEsporte.com: Muita gente no meio do futsal considera o Falcão como melhor jogador de todos os tempos. Quem é melhor, ele ou você?

Ricardinho: Não gosto muito de de entrar em comparações. O Falcão será sempre um dos jogadores mais importantes para o futsal e continuará a ser o maior ídolo dos mais jovens. Aliás, ele foi um dos meus ídolos! Mas não gosto de fazer comparações, porque cada um tem o seu legado e as suas conquistas e devemos todos orgulhar-nos delas.

 

 

Como e a sua relação com o Falcão? Vocês se falam sempre? São amigos mesmo morando longe um do outro?

Sou um sortudo nesse aspecto. O Falcão era o meu ídolo e tornou-se meu amigo. Apesar da distância, o respeito e a amizade existem e o contacto mantém-se.

 

 

O Falcão já passou dos 40 anos e encerra a carreira no fim desse ano. Você está com 33 e talvez jogue o seu último Mundial em 2020. Você vê algum jogador com capacidade para suceder vocês dois?

Assim de repente lembro-me de alguns como Ferrão, Dyego, Bateria, Gadeia, L. Lino, Lozano.

 

 

Qual é o segredo para manter-se como melhor do mundo por quatro temporadas seguidas?

Sem dúvida, que muita dedicação, trabalho, e estar rodeado de um grupo de jogadores e treinadores fantásticos são os principais ingredientes para o meu sucesso!!

 

 

Como você desenvolveu sua habilidade no futsal?

Treino muito todos os dias, porque considero que é importante para continuar a evoluir. Além disso vejo vídeos de vários desportos e tento aprender algo com eles.

 

 

 


Falcão e Ricardinho se abraçam durante amistoso Brasil x Portugal em 2015 — Foto: Thaís Jorge.

 

No início do ano, Portugal conquistou a Uefa Euro Futsal (Eurocopa). Você coloca a seleção portuguesa como uma das favoritas ao título mundial de 2020?

Nós temos consciência que conseguimos algo único. Foi muito difícil e a concorrência era elevada, mas queremos manter a qualidade de jogo. Somos uma equipa lutadora, com muita vontade de conquistar, mas não somos favoritos o que nos dá garra para jogarmos sempre para ganhar.

 

 

Você acompanha o futsal brasileiro? O que você acha do nível da Liga Nacional de Futsal do Brasil (LNF)?

Acompanho sempre que posso e acho que é uma liga competitiva, mas que falta um pouco de profissionalismo. Mas é, sem dúvidas, uma das melhores ligas do mundo e todos os anos surgem jovens jogadores com muita qualidade.

 

 

Já teve propostas para jogar em algum clube do Brasil? Tem planos de jogar algum dia no Brasil?

Já tive algumas propostas, mas de momento não me vejo a jogar fora da Europa. Costumo brincar e dizer que a idade e a época de aventura já passaram por mim (risos).

 

 


Portugal, de Ricardinho, conquistou a inédita Uefa Euro Futsal este ano — Foto: Divulgação/UEFA.

 

 

O futsal brasileiro vive uma crise desde a eliminação nas oitavas de final do Mundial de 2016. Você acha que o Brasil ainda é potência no futsal?

O Brasil cria sempre uma grande expectativa pelo que as gerações anteriores conquistaram e ganharam. De certa forma habituaram mal o povo brasileiro, mas não acho que seja uma crise, mas sim um sinal dos tempos, porque as outras seleções também estão a crescer e a evoluir. E hoje em dia ganhar um Mundial é muito difícil, porque a competição é muito forte.

 

 

O que o futsal precisa fazer para ser tão popular quanto o futebol de campo?

O futsal nunca será uma modalidade popular como o futebol. É necessário melhorar e profissionalizar o futsal em vários países, proporcionar melhores condições aos jogadores e mais investimento. O futsal tem tudo para crescer, mas era importante que chegasse a ser uma modalidade olímpica, respeitada na Fifa e Uefa.

 

 

 

Fonte: Globo.com