Notícias

Voltar

(12.01.2017 às 18:12)

Falcão diz que prêmio na Fifa foi seu ápice e que futuro na seleção é incerto

  • Compartilhe:

Dois títulos Mundiais, duas Bolas de Ouro Fifa, quatro vezes eleito o melhor do mundo pelo site Futsal Planet. A galeria de conquistas do craque Falcão foi resumida num só prêmio. No início da semana, o eterno camisa 12 esteve em Zurique, na sede da Fifa, onde recebeu o troféu The Best, reconhecimento que o dá o status de melhor jogador de futsal de todos os tempos. Para Falcão, essa foi a maior homenagem recebida ao longo dos seus 39 anos de vida. De férias, o craque aproveita os últimos dias de folga ao lado dos filhos Enzo e Luigi antes de retornar aos trabalhos pelo Sorocaba. Em entrevista ao GloboEsporte.com, Falcão falou sobre diversos temas, dentre eles a continuidade pela seleção brasileira, agora comandada por PC Oliveira.

- Quero conversar com o PC sobre isso. Devemos ter uma conversa até no máximo fevereiro. Sempre deixei claro que estava na seleção para ajudar. Só que agora (com a entrada da CBF na gestão da seleção) a parte financeira não vai ser tão problemática assim, então, se o PC não pretender contar comigo, faço uma partida de despedida e me aposento da seleção. Se ele quiser renovar a seleção desde já vou entender muito bem. Vamos conversar sobre isso com calma – afirmou Falcão.

O camisa 12 falou também sobre as mudanças na gestão da seleção brasileira de futsal, a escolha dos ex-jogadores Marquinho e Gabriel para os cargos de supervisores e as perspectivas da sua equipe, o Sorocaba, para a temporada 2017. Confira a entrevista:

GloboEsporte.com – O que achou de toda a homenagem recebida na Fifa na última segunda-feira?

Falcão - Com certeza foi a maior homenagem que eu recebi em toda a minha carreira, porque juntou todos os prêmios, é como se fosse um resumo de tudo o que fiz até aqui. Fiquei muito emocionado e certamente vou guardar tudo o que vivi em Zurique para o resto da minha vida.

Quando você recebeu o convite para estar na festa da Bola de Ouro Fifa, já sabia que seria homenageado? Foi uma surpresa para você receber o troféu Melhor de Todos os Tempos do futsal?

Já sabia que receberia uma homenagem, mas não sabia o que seria, muito menos que seria algo tão grande. Quando começou a rodar o vídeo foi como se estivesse passando o filme da minha vida. Produziram um vídeo de cerca de sete minutos com os meus melhores momentos, o que me deixou muito emocionado. A reação de todos depois do prêmio também foi muito legal. Muita gente que não conhecia o futsal se aproximou de mim. Foi muito legal para consolidar a imagem do nosso esporte.

Você levou os seus dois filhos Enzo e Luigi para a premiação e os meninos estiveram com você durante toda a festa. Como eles reagiram durante toda essa homenagem?

No Mundial da Colômbia, o Blatter (Joseph, ex-presidente da Fifa) me procurou dizendo que queria me homenagear na próxima Bola de Ouro e que eu seria premiado na festa. A única exigência que eu fiz foi que os meus filhos estivessem presentes. Eles aceitaram na hora e não viram nenhum problema. Os dois ficaram muito emocionados. Foi muito importante para mim dividir esse momento com eles.

O que achou da volta do PC Oliveira ao comando da seleção brasileira de futsal?

O PC é um vencedor, um cara com um currículo formidável. Tenho certeza de que ele se reciclou nesses anos em que esteve afastado, mesmo porque ele é um cara muito estudioso e está preparado para dirigir a seleção.

Nos últimos anos, você liderou um movimento de jogadores por melhorias no futsal brasileiro e uma das sugestões que vocês deram era a entrada da CBF na gestão da seleção, já que a situação da CBFS está bem complicada. O que achou das mudanças promovidas para este novo ciclo com a CBF atuando indiretamente no comando da seleção adulta?

A gente via que a situação da CBFS estava complicada e que não tinha muita saída. Fizemos a preparação para o Mundial com poucos recursos e mês a mês as contas não fechavam. Quando a coisa apertou de vez foram à CBF e acho que fizeram a coisa certa, ainda mais porque colocaram dois ex-jogadores no comando da seleção (Marquinho, supervisor, e Gabriel, diretor de relações internacionais), o que era um dos nossos pedidos.

Marquinho (ex-pivô, campeão mundial em 2008) e Gabriel (ex-ala, campeão mundial em 2008 e 2012) eram os nomes mais indicados para ocuparem esses cargos?

Sem dúvida. Os dois são nomes incontestáveis pelo que fizeram como jogadores e acho que estamos bem servidos. Vinicius e Lenísio também são ótimos nomes e espero que em breve estejam juntos na seleção também.

No ano passado você declarou que aquele foi o seu último Mundial, mas que você está à disposição da seleção até quando ela precisar de você. Pretende vestir a amarelinha até quando? 

Quero conversar com o PC sobre isso. Devemos ter uma conversa até no máximo fevereiro. Sempre deixei claro que estava na seleção para ajudar, muitas vezes atraindo mais investimento e melhores contratos para os eventos. Só que agora a parte financeira não vai ser tão problemática assim, então se o PC não pretender contar comigo faço uma partida de despedida e me aposento da seleção. Se ele quiser renovar a seleção desde já vou entender muito bem. Vamos conversar sobre isso com calma.

O seu clube, o Sorocaba, renovou recentemente com o patrocinador, o grupo Magnus, por mais cinco anos. Pretende jogar até quando?

Essa renovação me deixa bem tranquilo para seguir trabalhando. Eles (Magnus) querem que eu jogue o máximo possível. Ainda tenho muito prazer em jogar, e o nosso clube é como uma família. Talvez jogue mais um, dois anos, e depois me dedique só à administração. Não há nada definido sobre isso.

O Sorocaba se reforçou bem para 2017, contratando de uma só vez os corintianos Leandro Lino, Rocha, Marcel, Arthur e Edgard. Chegaram também o  Lé, do Atlântico Erechim e o Bruno, do Carlos Barbosa. Pode-se dizer que esse ano sua equipe virá com o intuito de conquistar todos os títulos que disputar?

Esse vai ser o primeiro dentre os nosso quatro anos de existência em que vamos chegar como favoritos. Com certeza o nosso investimento aumentou e vamos em busca de resultados melhores. Esses cinco moleques do Corinthians poderiam ser só apostas, mas já são uma realidade por tudo o que fizeram no ano passado. Então, vamos chegar mais fortes do que nunca esse ano.

  • Compartilhe: